TURQUIA FECHA O ESTREITO DE BÓSFORO E BLOQUEIA NAVIOS RUSSOS.

Por Jacinto Pereira – reproduzido do Programa Rádio Debate – editado p/ Cimberley Cáspio

“Turquia está autorizada a fechar o Estreito de todos os navios de guerra estrangeiros em tempos de guerra ou quando ameaçada por agressão.”

Imagem Créditos: Josep Renalias, Wikimedia Commons.

A Turquia começou um intenso bloqueio de fato a frota de navios de guerra russos, impedindo completamente o trânsito através do Dardanelos e do Estreito de Bósforo, entre o Mar Negro e o Mediterrâneo.

De acordo com o sistema de rastreamento AIS para o movimento de embarcações marítimas, somente embarcações  turcas estão se movendo ao longo do Bósforo e dos Dardanelos.

Ao mesmo tempo, tanto do Mar Negro, e no Mar Mediterrâneo, há um pequeno grupo de navios sob a bandeira russa, apenas se movendo e esperando.

A imagem abaixo mostra a situação com os navios que utilizam o transponder GPS .

Além disso, o transporte dentro do Mar Negro a partir de Novorossiisk e Sevastopol na direção do Bósforo, está parado.. Isto confirma indiretamente a uma declaração da CNN de que a Turquia pode ter bloqueado o movimento de navios russos nos Estreitos de Dardanelos e de Bósforo.

Há um Tratado cobrindo especificamente o uso destas vias pelas nações do mundo. Tratado que é a Convenção de Montreux. É um acordo de 1936 que dá o controle a Turquia sobre os Estreitos de Bósforo e Dardanelos e regula o trânsito de navios de guerra. A Convenção dá à Turquia pleno controle sobre o estreito e garante a livre passagem de navios civis em tempo de paz. Ela restringe a passagem de navios de guerra que não pertencem a países do Mar Negro. Os termos da convenção tem sido à fonte de controvérsia ao longo dos anos, principalmente em matéria de acesso militar a União Soviética para o Mar Mediterrâneo.

Assinado em 20 de julho de 1936, no Palácio de Montreux, na Suíça, é permitida a Turquia  remilitarizar o Estreito. Entrou em vigor em 9 de Novembro de 1936 e foi registrado em League of Nations Treaty Series em 11 de dezembro de 1936. Ele ainda está em vigor hoje, com algumas alterações.

A Convenção é composta por 29 artigos, quatro anexos e um protocolo. Artigos 2-7 a considerar a passagem de navios mercantes. Artigos 8-22 considera a passagem de navios de guerra. O princípio fundamental da liberdade de passagem e de navegação é afirmado em artigos 1 e 2. O artigo 1º dispõe que “As Altas Partes Contratantes  reconhecem e afirmam o princípio da liberdade de passagem e de navegação por via marítima no Estreito”. Artigo 2 afirma que “Em tempo de paz, navios mercantes gozam de total liberdade de passagem e de navegação no estreito, de dia e de noite, sob qualquer bandeira com qualquer tipo de carga.”

A Comissão Internacional de Estreitos que foi abolida, autoriza a retomada integral do controle militar turco sobre o estreito e a fortificação de Dardanelos. A Turquia está autorizada a fechar o Estreito de todos os navios de guerra estrangeiros em tempos de guerra ou quando ameaçada de agressão; Além disso,  está autorizada a recusar o trânsito de navios mercantes pertencentes a países em guerra com ela.

Invocado o seu poder nas passagens marítimas, não declarou publicamente se está bloqueando os navios de guerra russos, porque está sob “ameaça de agressão” ou já se considera “em estágio de guerra”. Na semana passada, a Turquia derrubou um jato militar russo sobre a Síria e isso causou um grande abismo entre as duas nações.

Este ato de bloqueio de navios de guerra russos é um precedente enorme e terrivelmente perigoso. Bloqueando a Rússia e impedindo a sua frota do Mar Negro de viajar  livremente para o resto do mundo, ou de volta ao seu porto de origem, é algo que não se coaduna com os russos.

Hoje cedo, o presidente russo Vladimir Putin ordenou o envio de 150.000 soldados russos e equipamentos para a Síria, mas depois também ordenou o envio de 7.000 soldados russos adicionais, tanques, lançadores de foguetes e artilharia, à fronteira russa da Turquia à Armenia, com ordens para estarem “totalmente prontos para o combate.”

É importante notar duas coisas:

1) A Turquia é membro da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO), como são os Estados Unidos e grande parte da União Européia;

2) A Turquia deu o primeiro tiro na Rússia quando intencionalmente derrubou um avião russo na semana passada.

É importante lembrar estes fatos porque, como membro da OTAN, a Turquia pode invocar o artigo 5 do Tratado da OTAN, que obriga todos os membros da OTAN para vir em sua defesa, se ela for “atacada”. Assim, se a Rússia decide lutar contra a Turquia que derrubou seu jato militar, os turcos poderiam chamar a OTAN e afirmar que eles foram “atacados”, o que fatalmente levará as forças da OTAN  ir à guerra contra a Rússia. Teoricamente falando,claro. Pois se à OTAN partir pra cima da Rússia, vai ter que brigar também com a China, e na prática, o artigo 5º possa ficar somente como um artigo e nada mais. Assim todos nós esperamos.No mais, é perturbador lembrar, no entanto, que a Turquia atirou primeiro. A Turquia foi a nação que “atacou”.

Antes da OTAN e o mundo ser arrastados para uma guerra entre a Rússia e a Turquia, os cidadãos do mundo devem estar prontos para lembrar nossos líderes que a Turquia atirou primeiro.

Por que os turcos atiraram? Porque além da Turquia  comprar petróleo do Estado Islâmico, grupo terrorista que vem roubando o produto da Síria e do Iraque, também permite a passagem do óleo  transportado por caminhão através do seu território, onde é vendido a preço barato no mercado negro.

Este mercado negro da venda resulta em mais de 1 milhão de dólares por dia fluindo ao ISIS para mantê-lo equipado e fornecido por suas atividades terroristas em curso. Só um tolo poderia pensar que tudo isso está acontecendo através da Turquia, sem alguma autoridade turca ter em suas mãos o dinheiro das vendas ilegais de petróleo. Simplificando, a Turquia está no negócio com o ISIS e a Rússia está prejudicando ao atacar o ISIS na Síria.

Nota do Editor: Informações sobre o fechamento do Bósforo, um Estreito de Istambul, está no site da Turkish Straits. Os fornecedores de informação para TurkishStraits.com são as seguintes empresas:

Düzgit Vapur Hizmetleri Tic. COMO. – Estreito de İstanbul Entrada Norte – estabelecida 1966

Denizciler Düzgit Gemi Acenteliği Tic. Ltd. Sti. – Estreito de Çanakkale – estabelecida 1984

GEMTAC – SS Gemi Tali Acenteleri Deniz Motorlu Taşıyıcılar Kooperatifi

– Estreito de İstanbul Southern entrada – estabeleceu 2005

http://www.infowars.com

http://undhorizontenews2.blogspot.com.br/

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s