ITAMARATY BUSCA REPATRIAÇÃO DE CRIANÇA BRASILEIRA QUE ESTÁ NA SÍRIA.

Por G1- Rio Preto e Araçatuba – editado p/ Cimberley Cáspio

Família síria com o filho brasileiro enfrentam a guerra (Foto: Reprodução/TV TEM)

Chaim com a mulher e o filho Yacoub, que é de Rio Preto, mas tem os pais sírios (Foto: Reprodução/TV TEM)

Menino nasceu em Rio Preto (SP), mas está na Síria com os pais. Juiz da Infância e Juventude pediu repatriação urgente da criança e dos pais sírios.

O chefe da Divisão de Assistência Consular do Itamaraty. através do Ministério das Relações Exteriores, Aloysio Marés Dias Gomide Filho, mandou um ofício nesta quinta-feira (24) para o juiz da infância e juventude de São José do Rio Preto (SP), Evandro Pelarin, dizendo que todas as medidas estão sendo tomadas para a repatriação de Yakoub Obaied, de 2 anos, criança rio-pretense que está na Síria com os pais.

Na sentença, o juiz solicitou que as autoridades internacionais emitissem um passaporte com urgência para a criança. A decisão deve ser cumprida pela embaixada brasileira em Beirute, no Líbano, porque a embaixada brasileira em Damasco, na Síria, foi fechada por causa da guerra. Na semana passada, Pelarin determinou, em caráter de emergência, que o menino fosse repatriado ao Brasil na companhia dos pais. Ele é sobrinho da dona de um restaurante árabe de Rio Preto. “Eles estão com  sérios problemas, sem luz, sem água, e correm risco extremo de vida. Muitas bombas caíram ao redor deles, onde morreram mais de 38 pessoas, Ele ficou escondido nos vizinhos para proteger a mulher, e a criança”, afirma a tia Sanaa Obid.

O Itamaraty recebeu a cópia da sentença do juiz e o mandado serve inclusive para o trânsito do menino, na companhia dos pais, da Síria ao Líbano. A criança nasceu em Rio Preto e é filho de Chain Obaiad e Rania Alsahhoum.

Sanaa tem seis irmãos e cinco já estão no Brasil, mas um continua na Síria. Chaim Obaied é casado e tem um filho de 2 anos, o Yacoub. O menino nasceu em Rio Preto em uma das visitas à família que está no Brasil. Em seguida voltaram para Síria e hoje sobrevivem à guerra.“Nós estamos torcendo para dar tudo certo, que eles consigam sair e vir para cá”, afirma.

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s