GOVERNO BRASILEIRO ESCONDE ESTIMATIVAS REAIS DE PRODUÇÃO DO PRÉ-SAL.

Reproduzido de Nuestromar.com e editado p/Cimberley Cáspio

De acordo com novas estimativas, o pré-sal brasileiro pode conter 176 milhões de barris

petróleo

(FNM) O “Polígono pré-sal brasileiro” uma área marítima que tem sido o centro de algumas das maiores descobertas recentes de petróleo ao redor do globo, poderia segurar volumes de petróleo e gás não descoberto capaz de atender às necessidades mundiais de petróleo atuais, por muito mais de cinco anos.

De acordo com um estudo publicado na semana passada pelo Jones e Hernane Chaves Cleveland Instituto Nacional de Petróleo e Gás (inog, por sua sigla em Português) da Universidade Estadual do Rio de Janeiro, o “Park”, que cobre a maior parte das bacias sedimentares marítimas de Santos e Campos, contém, pelo menos, 176 milhões de barris de petróleo e gás natural recuperável. Isso é mais de quatro vezes os 30 a 40 milhões de barris já descobertos na área.

Para Jones, “esta é uma estimativa conservadora, com uma alta probabilidade de 90% para se tornar realidade. Em teoria, cheia de recursos não descobertos em uma área que poderia ascender a 273 milhões de barris.”

O termo “sub-sal” refere-se a óleo retido por extensas camadas de minerais, que estão a uma distância considerável sob o fundo do mar no Polígono, distrito jurídico brasileiro, que abrange uma área marítima entre o Rio de Janeiro e São Paulo, onde o Brasil recebe hoje cerca de 85% do seu petróleo e gás.

A estimativa de 2015 foi 54% maior do que em 2010 e ascendeu para 114 e 288 milhões de barris de óleo equivalente.

Ao contrário de outros países democráticos produtores de petróleo, a autoridade reguladora do governo brasileiro não publica estimativas de potencial de recursos “off-shore” nacionais.

“O Brasil não tem tido o cuidado de divulgar publicamente esses números”, disse John Forman, ex-diretor da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) do Brasil.

Os recursos recuperáveis ​​são aqueles que podem ser explorados usando tecnologias disponíveis, mas podem não estar disponíveis, dependendo do preço do petróleo, o custo do equipamento e da saúde financeira das empresas que possuem os direitos para produzi-los. (Por Jeb Blount – Eric Haun, Marine link Adaptado para o espanhol por FOUNDATION NUESTROMAR.)

http://www.nuestromar.org/noticias/categ…scubiertos

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s