INVESTIDORES INTERNACIONAIS ORGANIZAM PODEROSA FORÇA-TAREFA MUNDIAL P/ COMBATER O EBOLA.

Por Cecilia Jamasmie – reproduzido e editado p/ Cimberley Cáspio

Foto:noticias.uol.com.br

Quase um terço das reservas minerais do mundo, estão na África.E o continente como um todo oferece as mais altas perspectivas para a descoberta de novos recursos minerais, de acordo com  geólogos.

A extração contínua,aliada a altíssimos investimentos por parte das empresas internacionais que operam na região,já está tendo um preço a pagar.Os deuses da África não vão deixar barato.Oficialmente o ataque do ebola,já está na casa dos 6 mil mortos,o ataque da malária já ultrapassou os 2 milhões de mortos,e a praga da cegueira do rio,já deixou 800 mil cegos.

E confiando na capacidade de capital e tecnologia,11  principais executivos das empresas que operam na África Ocidental pediram mais apoio internacional para combater o surto de Ebola na região, criando assim,uma grande e poderosa força-tarefa,a maior resposta de negócios organizada para a crise causada pelo vírus mortal.Uma espécie de Dia-D.

A chamada vem ao mesmo tempo em que os EUA e o Reino Unido anunciaram  uma ação militar para  ajudar no combate à epidemia,que vem matando nos cinco países do Continente desde fevereiro.

Em uma entrevista transmitida no domingo na NBC ‘s “Meet The Press”, o presidente Obama disse que a epidemia é uma “prioridade de segurança nacional”, e acrescentou que os soldados estarão envolvidos na criação de unidades de isolamento e outros equipamentos, bem como proporcionar segurança para o público profissional de saúde de todo o mundo que se encontra trabalhando no ciclo da morte.”

“Se fizéssemos isso,há 6 meses antes,o problema já estaria controlado na África”, disse Obama. “E isso não pode chegar as costas americanas.”

Engenheiros militares britânicos e  médicos também estão sendo enviados para a área, principalmente a Serra Leoa,disse o Alto Comissariado Britânico  em seu feed do Twitter.

De acordo com os líderes de negócios, os países mais atingidos – Guiné, Serra Leoa, Libéria,e agora o Mali,precisam da “abertura imediata de corredores humanitários e econômicos.”

Guiné,rica em minério de ferro, onde as primeiras mortes de Ebola foram confirmadas em março, o governo local antecipa 50 bilhões de investimentos em mineração ao longo da próxima década,disse o ministro de Minas Kerfalla Yansane na semana passada.

Fonte: MINING.com

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s